STARTUP FATURA R$ 20 MILHõES PARA CHECAR SE CARRO USADO TEM PROBLEMAS LEGAIS NA HORA DA COMPRA

Quer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

Comprar um carro usado ou seminovo pode ser uma jornada repleta de incertezas. Identificar a história completa de um veículo apenas pela observação visual é desafiador, podendo acarretar em futuros problemas para o comprador. Diante dessa preocupação, surgiu a Olho no Carro, uma startup especializada em fornecer consultas veiculares detalhadas com base na placa ou número do chassi, visando auxiliar os motoristas a evitarem armadilhas. Em 2023, a empresa viu seu faturamento crescer 53%, atingindo a marca de R$ 20 milhões.

Em 2017, Yago Almeida e Bárbara Siqueira se uniram para fundar a Olho no Carro. A iniciativa surgiu da necessidade de fornecer transparência e segurança nas transações de compra e venda de carros usados e seminovos em todo o país. A ideia foi inspirada em outro empreendimento que oferecia análises do histórico de veículos, porém, voltado apenas para lojistas e concessionárias.

Ao perceber a carência de informações disponíveis para o consumidor final, a dupla enxergou a oportunidade de criar uma solução que atendesse diretamente às necessidades das pessoas físicas. Com o passar dos anos, e o foco crescente em tecnologia, a empresa viu a chegada de um terceiro sócio, Diego Moura, que assumiu a responsabilidade pela área tecnológica da startup.

Consumidor compra carro sem saber dos problemas

A trajetória da Olho no Carro começou quando Bárbara Siqueira, formada em Gestão de Moda, decidiu fazer uma transição de carreira e se juntar ao negócio de informação veicular para empresas de seu pai, a Checktudo. Lá, conheceu Yago Almeida, CEO (Chief Executive Officer - Diretor Executivo) da startup, que já tinha o desejo de levar o serviço de consulta veicular para o público em geral.

“As pessoas compram o veículo acreditando na palavra dos vendedores, mas eu via que elas compravam carros ruins, sabendo das informações que o cliente não teria acesso. Para o lojista é uma venda, mas para a pessoa física é um sonho que pode dar prejuízo”, explica Almeida.

Para desenvolver seu modelo de negócios, a equipe da Olho no Carro estudou o mercado internacional, principalmente nos Estados Unidos, em busca de inspiração. Eles perceberam que havia uma lacuna no mercado brasileiro em termos de padronização e acesso a informações veiculares.

Dados de órgãos públicos e empresas privadas

Desenvolveram dois tipos de serviço: um gratuito, que disponibiliza informações básicas sobre o veículo, como cor, modelo, versão e ano, e um pago, que oferece detalhes mais abrangentes, incluindo histórico de roubo, clonagem, restrições judiciais e participação em leilões. As opções de pagamento variam conforme a abrangência do relatório, indo de R$ 29,90 a R$ 59,90.

A startup utiliza como fontes de dados instituições públicas, empresas privadas e parcerias exclusivas. Todo o material fornecido aos usuários é estritamente relacionado ao veículo, sem identificação dos proprietários.

“Somos decisores de compra, mostramos se o veículo é bom para você. A nossa inteligência artificial faz uma comparação do modelo com outros quatro, elencando no que os concorrentes são melhores ou piores”, destaca Almeida.

A plataforma tem mais de 1,3 milhão de usuários cadastrados, e seu aplicativo já ultrapassou a marca de 1 milhão de downloads na loja do Google. A média mensal em 2023 foi de 800 mil consultas.

Avaliações de clientes

A Olho no Carro conquistou uma classificação média de 4,8 de 5 estrelas no Google, baseada em mais de 2 mil avaliações até a publicação desta matéria. Os usuários elogiaram o serviço diferenciado e a qualidade dos produtos oferecidos pela startup.

No Reclame Aqui, a empresa tinha 679 reclamações quando este texto foi concluído. A nota média é de 8,6 de 10. A Olho no Carro respondeu a 100% das reclamações, e 86,2% dos clientes que se queixaram voltariam a fazer negócio com a empresa.

OLX diz que verificar situação de carros é essencial

Beatriz Soares, vice-presidente de produto da OLX, plataforma que comercializa produtos on-line, inclusive carros usados, diz que a verificação da autenticidade dos documentos de um carro tornou-se essencial para garantir negociações seguras.

“Na OLX, por exemplo, o histórico veicular pode ser contratado pelo anunciante durante a criação do anúncio e oferece informações detalhadas sobre tributos, restrições, antecedentes de furto e roubo, além de confirmar se as informações do anúncio correspondem ao veículo. Isso proporciona maior transparência e segurança, evitando anúncios falsos”, explicou.

Soares diz que para que serviços aparentemente simples, como a análise de documentos, se tornem acessíveis no ambiente digital, é necessário um trabalho complexo de integração de sistemas e design.

“A digitalização acelerada pela pandemia impulsionou a adaptação de soluções offline para o mercado online, tornando a compra e a venda de automóveis mais seguras.”

Ela afirma que para comprar um carro com segurança online é necessário negociar diretamente com o proprietário.

“Evite intermediários, veja o veículo presencialmente e prefira locais públicos. Realize uma vistoria cautelar com uma empresa credenciada, pague apenas em uma conta em nome do proprietário e verifique os dados bancários diretamente. Vendedor e comprador devem ir juntos ao cartório para a transferência, e o pagamento só deve ser efetuado após a conclusão da transação no cartório. Essas práticas ajudam a garantir uma compra segura e transparente”, finalizou.

2024-06-24T12:38:35Z dg43tfdfdgfd