QUANDO CARROS ELéTRICOS ‘POPULARES’ VãO CHEGAR àS RUAS DOS EUA ?

Quer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

Os preços dos veículos eléctricos (EV) estão caindo rapidamente nos Estados Unidos, mas os modelos mais baratos continuam a ser muito mais caros do que os que outros países oferecem. O BYD Seagull é vendido por cerca de US$ 10 mil na China, o Dacia Spring custa a partir de US$ 20 mil na Europa, o Renault Kwid e-Tech custa US$ 19 mil no Brasil e o Kia Ray sai por US$ 22 mil na Coreia do Sul.

Então, onde está o EV de US$ 25 mil da América?

Resumindo, chegará em breve. À primeira vista, pode não parecer assim: os preços dos veículos nos EUA em geral subiram para cerca de US$ 47 mil, em média, e os preços dos modelos eléctricos são ainda mais elevados. Mesmo depois dos cortes de preços, o sedã elétrico mais vendido do país, o Modelo 3 da Tesla, custa cerca de US$ 40 mil.

Mas com sinais de desaceleração do crescimento no mercado de veículos elétricos premium, os fabricantes têm trabalhado numa mudança substancial do luxo para a praticidade. O carro elétrico econômico de US$ 25 mil é a nova meta da indústria, e vários modelos devem chegar à estrada dentro de um ano. Se eles conseguirão conquistar a próxima onda de proprietários de veículos elétricos americanos – e afastar as importações chinesas atualmente contidas pelas tarifas que em breve serão de 102,5% – depende de quanto alcance e quantos recursos podem ser incluídos.

Aqui está o que sabemos sobre quatro esforços em andamento:

General Motors renova o Chevy Bolt

O atual líder dos EUA em acessibilidade de EV pode muito bem ser a nova versão elétrica do Chevy Equinox. O SUV vem com autonomia de 319 milhas por cerca de US$ 42 mil, antes de créditos fiscais federais que podem reduzir o preço em US$ 7,5 mil. Esses incentivos reduzirão o custo de um modelo básico, disponível ainda este ano, para menos de US$ 28 mil.

Isso é muito barato, relativamente falando, mas em breve será superado pelo Chevy Bolt atualizado. A nova presidente norte-americana da GM, Marissa West, afirma que o Bolt será “o veículo mais acessível do mercado até 2025?.

O Bolt original, que a GM descontinuou este ano, tem sido a alternativa EV mais popular ao Tesla nos EUA nos últimos sete anos. O carro despretensioso era conhecido pela qualidade de condução medíocre, alcance limitado e carregamento lento – mas conquistou uma base de fãs leais com um preço inicial incomparável de US$ 26,5 mil antes dos incentivos.

O Bolt atualizado reduz os custos de produção e melhora os tempos de carregamento, estilo e manuseio, de acordo com a GM. Para carregar, usará o novo padrão de carregamento norte-americano, compatível com os Superchargers da Tesla, e empregará baterias de fosfato de ferro-lítio de baixo custo na nova plataforma Ultium EV da GM.

O preço e as especificações não foram anunciados, mas é um provável candidato à melhor faixa de preço na nova classe de EVs de US$ 25 mil.

Stellantis e o Jeep Renegade de US$ 25 mil

A Stellantis, que tem demorado a oferecer modelos elétricos nos EUA, lançará um Jeep elétrico de US$ 25 mil “muito em breve”, como parte de uma ofensiva de veículos elétricos em grande escala, disse o CEO Carlos Tavares em uma conferência em Bernstein em 29 de maio. confirmou que o EV assumiria a marca Jeep Renegade e seria um dos pelo menos três novos Jeeps à venda nos EUA até 2027.

Stellantis trouxe seus primeiros EVs para os EUA este ano: o carro subcompacto Fiat 500e de US$ 32,5 mil e o Wagoneer S que custa cerca de US$ 70 mil. Custando US$ 25 mil, o novo modelo seria o Jeep mais barato de qualquer tipo disponível nos EUA, superando o crossover compacto Compass movido a gasolina em US$ 26 mil.

Sobreviver à transição para veículos eléctricos, disse Tavares, exige a oferta de preços comparáveis aos dos veículos movidos a gás, mesmo que isso signifique cortes severos de custos e menos lucros em toda a cadeia de abastecimento durante os anos de transição. Alcançar economias de escala é fundamental.

“Se você me perguntar o que é um [veículo elétrico a bateria] acessível, eu diria 20 mil euros na Europa e 25 mil dólares nos EUA”, disse Tavares. “Portanto, nosso trabalho é trazer o BEV seguro, limpo e acessível para os EUA – US$ 25.000 – nós faremos isso.”

Ford volta à prancheta

Depois de ser prejudicada pelos altos custos e pela demanda abaixo do esperado por seus dois primeiros EVs, a Ford reverteu o curso. Cortou gastos em modelos movidos a bateria em US$ 12 bilhões, adiou fábricas de baterias e adiou uma picape elétrica da série F e um SUV de três fileiras até 2026 e 2027, respectivamente.

Tendo decidido que os grandes SUVs e caminhões elétricos são muito caros para os clientes convencionais, agora a Ford está pensando em algo menor. Há dois anos, a empresa iniciou discretamente o desenvolvimento de uma linha de veículos elétricos mais acessível. O trabalho está sendo feito por uma equipe satélite de engenheiros em Irvine, Califórnia, dirigida por Alan Clarke, que anteriormente liderou a engenharia do SUV Modelo Y da Tesla.

O primeiro dos três novos EVs nessa plataforma chegará no final de 2026, com um preço inicial em torno de US$ 25 mil, de acordo com um relatório publicado pela primeira vez na Bloomberg Businessweek e posteriormente confirmado pelo CEO Jim Farley. Ele disse que o novo objetivo da Ford é claro: criar veículos elétricos convencionais que sejam lucrativos no mercado dentro de um ano. Isso contrasta fortemente com as perdas sofridas por sua formação atual.

Os dados internos dos clientes da Ford mostram que a maioria dos compradores de veículos elétricos vive nos subúrbios, percorre distâncias relativamente curtas e se preocupa mais com os custos do que com os recursos de última geração, disse Farley em uma teleconferência de resultados em abril. “É aí que a adoção de VEs crescerá mais rapidamente”, disse ele. “Cada vez mais, nossa aposta será em nossa nova plataforma pequena e acessível desenvolvida por nossa equipe na Costa Oeste.”

Desempacotando o EV misterioso de Tesla

A Tesla, o principal produtor mundial de carros totalmente eléctricos, tem sido a maior fonte de pressão para desenvolver um carro de 25 mil dólares nos EUA – e também a maior fonte de incerteza. Musk tem falado publicamente sobre um Tesla de US$ 25 mil durante anos, enquanto aparentemente argumenta contra ele em particular. Os relatórios sugerem que ele disse aos fornecedores em janeiro para se prepararem para um lançamento em meados de 2025, e depois disse aos seus engenheiros em abril para abandonarem completamente esses planos. Musk negou categoricamente o encerramento do programa, mas depois se recusou a dizer que continua comprometido.

Se o objetivo era deixar todo mundo na dúvida, bom, missão cumprida.

No cerne da questão está se a Tesla dará prioridade à produção de veículos pequenos e de baixo custo que possam competir com o crescente mar de concorrentes chineses, ou se se concentrará primeiro na construção de carros para um táxi autónomo lançado à lua. Só Musk sabe por que os dois são mutuamente exclusivos e, pelo menos até agora, ele não está compartilhando.

Numa teleconferência de resultados em abril, Musk disse que a Tesla acelerou, em vez de atrasar, o seu roteiro de produtos futuros e que “modelos mais acessíveis” chegarão no final de 2024 ou início de 2025. Esses modelos serão produzidos nas linhas de produção existentes da Tesla, em vez de do que usar o método de produção experimental, que Musk chama de “unboxed”, que foi originalmente planejado.

A Tesla confirmou na semana passada que três veículos estão em desenvolvimento – presumivelmente o supercarro Roadster anunciado em 2017, o robotáxi Cybercab sem condutor a ser apresentado em agosto e o veículo económico ainda sem nome.

O que resultará disso tudo é uma incógnita, mas se a Tesla conseguisse conquistar os motoristas americanos com um veículo pessoal minúsculo e leve, como fez com os grandes SUVs elétricos, isso poderia fazer mais para transformar as estradas dos EUA e reduzir a poluição rodoviária do que qualquer outra coisa. a empresa fez até agora. Só que desta vez, com o segmento de veículos elétricos de US$ 25 mil, a Tesla não será a única a tentar.

Este conteúdo foi traduzido com o auxílio de ferramentas de Inteligência Artificial e revisado por nossa equipe editorial. Saiba mais em nossa Política de IA.

2024-06-23T18:10:26Z dg43tfdfdgfd